ter, 7 ago

Será que os opostos se atraem?

Já dizia Rui Veloso, não se ama alguém que não ouve a mesma canção.

Rosa Amaral, psicóloga clínica, veio ao programa falar das diferenças entre duas pessoas numa relação e como os gostos e objetivos pessoais podem afetar o futuro do casal.

As personalidades diferentes podem ser favoráveis à vida do casal. Já em relação aos objetivos de vida, se estes forem muito diferentes podem gerar conflitos, que na maior parte das vezes são difíceis de resolver.

Os requisitos fundamentais para um bom relacionamento são uma gestão de conflitos, de modo a estabelecer um consenso e um equilíbrio.

No entanto, não é necessariamente obrigatório haver concordância, o importante é o investimento de ambos de modo a favorecer a comunicação e a enfrentar os desafios do dia-a-dia.

Ao longo do tempo estabelece-se uma aproximação. A aproximação e a cumplicidade entre o casal são os requisitos fundamentais para uma relação duradoura.

A teoria de que polos opostos se atraem pode aplicar-se à vida de casal. Se houver entendimento, se houver cedências, as diferenças inerentes à vida de duas pessoas com personalidades diferentes vão-se atenuando.

À pergunta «porque é que as pessoas tentam mudar o outro?» a psicóloga clínica Rosa Amaral respondeu que é a natureza do amor. Apesar de amarmos alguém, a pessoa pode ter características com as quais colidimos. No início é tudo perfeito. Com a evolução, as pessoas vão-se adaptando e vão acreditando que o amor vai ter o poder de mudar o outro, o que pode gerar um conflito porque queremos mudar não só coisas que são mutáveis, como características da personalidade, que não se mudam.

 

Página Oficial do Você na TV