seg, 16 jul

Prevenir a disfunção erétil

 

Tem dificuldade em ter, ou manter, a ereção até à conclusão da atividade sexual?

 

Perde a ereção no momento da penetração?

 

Sente-se preocupado com a sua "performance" sexual?

 

Esta dificuldade é perturbadora para si e/ou está a afetar a sua vida sexual?

 

 

Se respondeu “sim”, a pelo menos uma destas questões,

então este texto é para si!

 

A característica essencial da disfunção erétil, no homem, consiste na incapacidade persistente ou recorrente de obter ou manter uma ereção adequada até à conclusão da atividade sexual.

 

Existem diferentes padrões de disfunção erétil:

- Alguns homens apresentam incapacidade total em obter ereção.

- Outros queixam-se que, embora tenham uma ereção adequada, existe perda da tumescência, ao tentar a penetração.

- Outros ainda relatam que chegam a conseguir fazer a penetração, mas que esta diminui durante os movimentos sexuais.

 

A ausência completa de qualquer resposta de ereção é rara. O mais comum é uma ereção parcial não suficiente para a penetração.

 

Esta disfunção sexual constitui um grave golpe no auto conceito masculino e, geralmente, associa-se a sentimentos de vergonha, frustração, depressão e até ideação suicida.

 

PRINCIPAIS FATORES DE RISCO DA DISFUNÇÃO ERÉTIL:  

Fatores psicológicos – Frequentemente, as dificuldades de ereção, estão associadas à presença de ansiedade sexual, medo de "falhar", preocupações acerca do desempenho sexual e conflitos conjugais. Além disso, outros fatores como o stress, ansiedade e depressão, também têm um impacto muito importante na resposta sexual.

Envelhecimento - Apesar de poder surgir em qualquer idade, esta disfunção sexual é mais frequente nos homens idosos (80% dos homens com mais de 75 anos apresentam dificuldades de ereção). No entanto, este acréscimo de casos, deve-se essencialmente a problemas de saúde, que tendem a surgir com o avançar dos anos, e não tanto pela idade em si!

Doenças crónicas – Problemas de saúde, tais como, Diabetes, Hipogonadismo, e Aterosclerose, são fatores de risco para a Disfunção Erétil.

Medicação – Alguns medicamentos, do grupo dos antidepressivos; anti-histamínicos; anti-HTA; analgésicos; ansiolíticos; hipnóticos, podem afetar a capacidade de ereção.

Cirurgia ou traumatismo – Algumas cirurgias podem causar danos nos nervos que controlam a ereção.

Obesidade

Abuso de substâncias – O uso crónico de álcool, marijuana, ou outras drogas, tem um impacto negativo na vida sexual, bastante significativo.

Tabaco – Os homens fumadores apresentam o dobro do risco, de desenvolverem uma Disfunção Erétil, já que o tabaco está intrinsecamente ligado a problemas vasculares.

 

PREVENÇÃO:

- Evitar o consumo de álcool, tabaco e drogas

- Fazer exercício físico com regularidade

- Evitar situações de stress

- Tratar questões de ansiedade e depressão

- Dormir bem

- Evitar sedentarismo

- Fazer exames médicos com regularidade

 

TRATAMENTO:

Sempre que o problema for mais do que ocasional e de curta duração, deve procurar ajuda de um especialista. Atualmente, existem múltiplos tratamentos, para as diversas causas de disfunção erétil.

 

Texto escrito pelo Dr. Fernando Mesquita, Sexólogo e Psicólogo Clínico

Para mais informações consultar o site ou o facebook

Página Oficial do Você na TV