qui, 29 mar

4 dicas para controlar as birras e ciúmes das crianças

Reveja no vídeo as dicas que o Dr. Quintino Aires deu aos telespectadores que telefonaram para o programa a expôr as suas dúvidas. E confira se a sua pergunta, feita através da caixa de comentários do facebook, está aqui esclarecida.

1 - Tenho um filho de 6 anos e uma bebé de 1 mês. De há 15 dias para cá o meu filho, que inicialmente aceitou muito bem a nova irmã, tem vindo a rejeitar-me e só quer ficar nos avós. Em casa dos meus pais não quer dormir sozinho, não vai para quarto onde inicialmente dormia e não vai sozinho para nenhuma divisão casa alegando que tem medo. Já questionámos o porquê destes receios e a resposta é que não tem nada e que não dorme na minha casa porque gosta mais de dormir na casa dos avós. Não sei o que se passará. O que posso fazer?

Provavelmente não se passa nada de muito preocupante. Ele certamente está a reagir como qualquer criança saudável reage ao nascimento de um irmão e a ter perdido alguma da atenção e dos privilégios anteriores. É sempre muito importante pensarmos que uma criança é exatamente isso, uma criança. Não a podemos criticar por mostrar algum egoísmo, que próprio da sua idade. Mas também NÃO DEVEMOS compactuar com essa atitude, pois estaríamos a cristalizar uma característica que queremos que ela ultrapasse. Se ele quer dormir em casa dos avós, uma ou outra vez tudo bem, mas não por hábito. E nunca deve dormir na cama dos avós. Quanto aos medos de que ele fala, diga aos seus pais, e também na sua casa, que apenas lhe digam que não há nenhum razão para ele ter medo porque vocês estão ali. Mostrarem-se sem medo, não encontrando lógica no medo dele, é a melhor forma de o ajudar a perder também ele o medo. 

 

2 - Tenho uma menina que faz 7 anos e tenho gémeos com 10 meses. A Menina de 7 anos nunca teve ciúmes e adora os irmãos, andava sempre agarrada a eles. De há dois meses para cá anda muito rebelde, não ajuda quando lhe peço alguma coisa, dá respostas tortas, e começou a apertar muito os irmãos até os meter a chorar. Já a meti de castigo mas não resulta, já falámos com ela e nada. O que poderei fazer?

São os ciúmes naturais, que ela já não consegue esconder. Não se zangue com ela, pois fazem parte, são próprios, de crianças da idade dela. Mas não a deixe perceber isso. Não converse demasiado com ela sobre este assunto; ao contrário do que se dizia no passado, demasiadas explicações às crianças atrapalham mais do que ajudam. Diga-lhe que gosta muito dela, mas ela é muito feia quando faz isso. Para uma criança desta idade “ser feia” é muito semelhante a fazer coisas erradas, e ela compreende com o desgosto que não querer “ser feia”/fazer coisas erradas. E continue atenta, porque ela só tem 7 anos, ainda não controla muito bem os próprios comportamentos.

 

3 - Tenho um filho de 2 anos feitos em Dezembro. O meu filho anda no infantário e todos os colegas comem a refeição de sopa e segundo prato, mas o meu filho ainda não come o segundo prato. Só come a sopa dos bebes com a proteína, carne ou peixe, e o mesmo acontece em casa. Pomos sempre o segundo prato à frente para ele mexer e se familiarizar e ver se começa a comer mas isso nunca acontece. Come de tudo e mastiga muito bem mas a comida salgada não. A única coisa que come assim desse género é douradinhos e agora recentemente nuggets. Mas não lhe posso dar sempre isso. Já não sei o que fazer. Ontem meti na sopa frango muito desfiado e mesmo assim dá-lhe vómitos e engole sem mastigar. O que devo fazer? 

Está com demasiado medo do comportamento do seu filho. Percebo que o seu carinho e afeto por ele, a travem. Mas não pode deixar de agir. É natural que ele reaja a formas, cores e sabores diferentes, mas seu papel é apresentar-lhe a comida que você entende que ele deve comer. Se estiver bem hidratado, pode ficar mais um tempinho sem comer, e quando tiver fome apresente-lhe novamente o que era para ele comer. No infantário pode pedir à educadoras para dia sim, dia não lhe darem primeiro o segundo prato. Certamente que as educadoras sabem alguns truques que ajudam a que ele coma. E é evidente que douradinhos e nuggets não são comida saudável para nenhuma criança. Se não agir de forma dura, embora com arte, ele pode chegar à idade de ir para a escola ainda com este problema. E lembre-se sempre que a criança faz o que o adulto entende ser bom, e não o contrário. Não tenha medo do comportamento dele. 

 

4 – (Continuação da resposta à telespectadora que falou em direto sobre as muitas birras na escola e em casa). 

A birra é uma forma de a criança conquistar o que quer. Uma forma que, a nós adultos, parece muito desorganizada. E é, porque o seu cérebro, ainda em desenvolvimento, também apresenta ainda um certo grau de desorganização. É o adulto quem deve mostrar-se seguro e forte, não aceitando o que não lhe parece correto permitir ou dar à criança. Se o adulto se mostra forte, as birras vão desaparecendo; se o adulto se mostra vacilante, as birras aumentam. As birras resultam então da atitude do adulto. Mas é difícil perceber o que estamos a fazer mal. Por vezes alguns adultos pedem a outro para os filmar quando estão a tentar lidar com as birras dos filhos, para depois visualizarem e tentarem descobrir o que devem mudar. 

 

Para mais informações: www.drquintino.com ou ligue para a clínica 21 192 7 192.

Página Oficial do Você na TV