14 jan, 22:56

Exigência aumenta a duas semanas da grande final

Os aspirantes a MasterChef Júnior nem querem acreditar que já estão na oitava semana de competição e ao entrarem na cozinha percebem que um elemento do trio de jurados desapareceu. Afinal, onde está o Tio Goucha? Silêncio, que o Tio vai cantar o Fado. Após a sentida homenagem a uma das maiores heranças culturais portuguesas, chega a vez dos mais pequenos honrarem as tradições do seu país e cada um terá de fazer um prato típico da sua região. A Maria, que vive em Cascais, aposta numa Massada de Tamboril e Gambas, o José prefere cozinhar um prato típico da zona onde nasceu: um Gaspacho alentejano. Já o Nuno aposta em Pato com Laranja, um prato típico da sua casa, tal como Joana que escolhe fazer Arroz de Pato. A Ariana, que vive em Gaia, decide fazer Moelas com Arroz Branco e a Flor prefere confecionar um prato algarvio, região onde passa férias: Atum de Cebolada. Do extenso cardápio alentejano, António escolhe Rojões com Açorda e Américo, inspirado nas suas raízes do Norte, opta por Arroz de Cabidela.  

Os pratos dos concorrentes honraram as memórias e os sabores de Portugal, em particular a Massada de Peixe da Maria e o Arroz de Cabidela do Américo que foram os grandes vencedores.

Na prova de equipas, os aspirantes enfrentam o público mais exigente de todos: crianças, tal e qual como eles. O Parque dos Monges, em Alcobaça, é o local escolhido para prepararem um piquenique para 50 crianças. A equipa azul, liderada por Maria, é constituída por Nuno, Ariana e José, enquanto a equipa vermelha, capitaneada por  Américo, é constituída por António, Flor e Joana. Cada equipa terá de preparar 25  unidades de quiches, tartes doces, wraps, espetadas de fruta e sumos em apenas 2h. A desorganização da equipa da Maria leva à sua derrota e cada elemento recebe apenas 3 pontos- Por outro lado, cada elemento da equipa do Américo recebe 6 pontos. 

No regresso à cozinha, os aspirantes ficam de olhos em bico, naquela a que classificam como “a prova mais difícil de sempre”. O chef Paulo Morais apresenta um prato de sushi que terão de replicar numa prova onde a destreza com a faca será posta à prova. Feitas as contas, Américo lidera a tabela com 11 pontos e passa  automaticamente para a nona semana de competição. É-lhe ainda concedida uma última vantagem: levar um único elemento com ele para a próxima semana. Américo salva José, conduzindo assim António, Flor, Maria, Joana, Ariana e Nuno para a prova de eliminação. A dificuldade da prova faz-se sentir e, no final, Ariana e Joana abandonam a competição.